Páginas

4 de maio de 2010

aquela a quem eu chamo de minha !

Vejo-me perdido novamente em meus surtos imaginários, seria tão mais fácil se tudo se adaptasse ao meu modo de ver as coisas, se eu pudesse simplesmente gritar ao mundo todo o que eu sinto, chorar, e sorrir sem ser julgado, sem toda essa pressão, sem câncer !
Não creio que esteja com medo, bem, não sei ao certo o que estou sentindo, mas não parece medo, um certo alívio talvez, mas não devia sentir alívio, o fato de não ter mais que 1 ano de vida não é um bom motivo para estar aliviado. Mas talvez, talvez seja isso, talvez eu mereça e queira morrer.
Algo me arranca com uma força brutal de meus pensamentos, eu havia derramado minha dose de wisk, minha blusa estava encharcada, eu comecei a rir, pensando o quão patético estava eu, parado ali , em meio a um bar no subúrbio de uma cidade badalada, perdido em pensamentos vãos, com um ano de vida e uma blusa cheirando a álcool. ri, mais uma vez.
Foi quando olhei para a entrada do bar, e à vi, ela entrou no bar com seus longos cabelos ruivos, encaracolados , maquiagem pesada, roupas pretas, uma bota de cano alto, também preta e com alguns detalhes em correntes, uma luva que subia até o final dos pulsos, uma meia calça rasgada. Ela não podia ser real, era a imagem mais perfeita que eu já havia visto, nada podia se comparar a ela, eu queria olha-la para sempre, queria toca-la e ama-la, queria chama-la de minha!
Ela entrou sentou-se em um canto escuro, sua pele branca era iluminada por um feixo de luz que a alcançara em seu refúgio, era como se eu tivesse voltado, antes do meu diagnóstico de câncer, antes de tudo perder o sentido, quando eu ainda enxergava beleza nas coisas, como era possível com apenas a imagem dela eu me sentir tão bem ? me sentir tão vivo ?
Eu sentia as horas correrem como se fossem segundos, ela mal se movera desde quando chegou , parecia uma estátua, um anjo negro, minha salvação, meus olhos não conseguiam não olha-la. O relógio marcou uma nova hora, haviam 3 horas que ela estava ali, ela moveu a cabeça levemente para a direita para poder enxergar o relógio, seus longos cabelos ruivos mexiam como pequenas ondas. Ela se levantou e saiu, eu a olhei sair, sem fazer nada, impotente outra vez, eu não havia lutado contra o câncer e nem contra o amor, os dois haviam vindo e se alojado em mim , extinguindo todas as coisas boas que eu já senti um dia.
Chamei o garçom, perguntei

- Ela vem sempre aqui ?

- Desde que descobriu o câncer

- Ela tem câncer ? - perguntei sentindo meu coração bater tão forte que comprimia meus pulmões.

- Não, ela diz que sonhou que um homem precisava dela, ela sonhou com ele aqui, e desde então vem aqui todos os dias, fazem 3 meses, a mesma hora, esperando pelo homem, acho que ela esta louca...
Ele continuou a falar, eu já não podia ouvir, meu sangue pulsava forte em minhas têmporas, fora a 3 meses que eu havia descoberto o câncer. Ela havia sonhado comigo, e vinha aqui a minha procura , ela vinha aqui por mim! - Eu sorri, enquanto lágrimas quentes escorriam por meu rosto.
O dia passou lentamente, não consegui dormir, assim que deu 5:00 horas, eu corri para o bar, ela chegou as 6:00 como ontem, com a mesma maquiagem pesada, e uma roupa preta, ela se sentou no mesmo lugar, imóvel. Fui até a mesa, sentei-me, abri a boca para falar algo, não sei o que, nenhum som saiu, tentei outra vez, ela prensou seus dedos gélidos contra meus lábios, olhou nos meus olhos, ela chorou, eu chorei. Segurei sua mão com força, a puxei para mim, a abracei, ficamos assim, como se fossemos um.

- Me desculpe. - Ela murmurou com a cabeça ainda sobre meu peito

- Desculpar-te ? você me fez voltar a viver, quando eu já havia desistido.

Ela chorou mais uma vez. - Eu esperei por você

- Eu sei - Disse sorrindo - obrigado
- Não quero que morra.

- Sonhou que eu ia morrer?

Ela chorava sem parar, balançou a cabeça que sim.       

- Sabe, eu não me importo, por que mesmo que eu morresse agora, tudo teria valido a pena , desde o momento em que você entrou por aquela porta

- Sonhei também, que você me chamava de sua.

- Não quero te prender a mim, não quero que seja minha para que depois se machuque com a minha morte.

- Minha vida se tornou você, tive certeza disso quando você sorriu, eu sempre fui sua. Eu te amo.

- Eu te amo . - minha menina, daqui até a eternidade.

Colei meus lábios nos dela e sussurrei,- eu sou seu



3° lugar - edição músical - estou tãooo feliz (:

8 comentários:

  1. Muiiiito lindo *.* Nossa mih, sinceramente você se superou esse ficou muito perfeito. *.*

    ResponderExcluir
  2. Nossaa Mii, vc escrevee demais amr.! parabéns, não éé a toa que só tira notaça em redação.!

    ResponderExcluir
  3. muuuuuuuiiitoo lindo
    P E R FE I T O

    ResponderExcluir
  4. aaaaaaaah para! que liindo véio *-*

    ResponderExcluir
  5. LETICIA : obrigada amiga *---*
    Fê : fê linda, obrigada *-*
    C. : Obrigada *-*

    ResponderExcluir
  6. mileeeeeeeeeeeeeeeeeeeene, SOU SUA FAAN N 1!

    ResponderExcluir
  7. SAU : *----------------*
    obrigada, você sabe xubs <3

    ResponderExcluir